De: Albino A. M. Jr.

Para: Liliane
Cc: Maria Lucia
Enviada em: Segunda-feira, 10 de Maio de 1999 19:49
Assunto: Incoerencia

Para Liliane e Maria Lúcia,
Estou com vontade de enviar este e-mail para o Saturnino.
Vocês concordam? Tem algo a acrescentar ou suprimir?
 
 
Caro Senador,
 
Pegando um gancho no e-mail de D. Maria Lúcia informo que outros fatos curiosos  vem acontecendo no Recreio,  a cobrança efetuada pela CEDAE de taxa de esgoto para residências que possuem fossa, o esgoto não passa nem perto, e foi declarado em noticiário de TV por alguém do governo que a cobrança é legal pois está prevista na lei.
O que nos deixa cada vez mais discrentes da classe política é que os parlamentares não tem o menor escrúpulo em botar a mão no bolso da gente aprovando este absurdo.
O senhor foi prefeito e sabe perfeitamente que cismam em taxar o Recreio como um bairro de classe média alta para fins de cobrança de IPTU alto, o que não é verdade pois a maioria dos habitantes não é classe alta e muitos também sofrem como eu desempregado há quatro anos. Além disso o bairro não tem infra estrutura, 90% das suas ruas não são asfaltadas, mosquitos a granel sem que passe por aqui qualquer carro de combate a estes insetos.
Em contrapartida o projeto Favela Bairro urbanizou a favela do Terreirão. Gostaria de deixar claro que não sou contra o projeto, as pessoas tem que viver de forma digna, mas repudio a forma como aqui foi implantado.  Ele foi imposto e algumas pessoas  que tiveram seus imóveis desvalorizados com a construção pela Prefeitura de uma Favela na sua porta em local destinado a outro tipo de construção, como foi o caso de D. Maria Lúcia que enviou-lhe um email sobre ilegalidades na região.
Some-se a isso que dentro da referida favela existem vários tipos de comércio  como padarias, salões de cabeleireiro, oficinas, lojas de material de construção que exigem dos seus proprietários capital para equipamentos e estoque. Então eu me questiono, "Se são pessoas carentes como surgiu o capital para tamanho investimento?"e estão surgindo construções que de carentes não tem nada.
O que causa revolta é que eu com mais de vinte anos de experiência estou desempregado há 4 anos, não tenho recursos nem para colocar um anúncio em jornal para fazer biscate e pago impostos. O senhor quer saber como surge o dinheiro para o pagamento dos meus impostos? eu hoje vivo às custas de minha esposa que é professora aposentada e de minha mãe funcionária federal aposentada.
 Se eles são carentes, o que eu sou?
Será que o senador pode pegar esta bandeira e ensinar ao Govêrno do estado, à Prefeitura, aos Vereadores, aos Deputados estaduais e Federais e aos Órgãos de Govêrno aqui do Rio o que é escrúpulo?
Engo Albino A. M. Jr.
Home Page: http://www.iis.com.br/~aamjr
E-mail: aamjr@iis.com.br