De: Silvio Rocha
Para: Maria Lucia
Data: Quinta-feira, 15 de Outubro de 1998 11:34
Assunto: Re: Favela Bairro

Prezada Maria Lucia,

em absoluto, por favor, nada de desculpas; eu é quem peço por não ter deixado claro, quando recebi teu primeiro e-mail.

Como não sou arquiteto, engenheiro ou qualquer coisa do ramo, fiquei na dúvida se estaria recebendo um protesto classista ou propaganda de futura candidata a qualquer coisa, já que o tempo é de eleição...Por favor, me perdoe se me fiz entender erroneamente. Quanto ao teor do teu e-mail lamento tomar conhecimento destas barbaridades cometidas por nossos governantes; tento avaliar o desemparo dos moradores proprietarios que se veem de uma hora para outra espoliados dos seus direitos conseguidos atraves de tantas lutas e sacrificios. Fico daqui torcendo para que você tenha sucesso e que consiga ser ouvida por quem de direito. Não devo ser de muita valia quanto a ajudar de alguma forma mas sou solidário quanto ao problema. Boa sorte.

Silvio Rocha


De: Maria Lucia
Para: Silvio Rocha
Data: Segunda-feira, 12 de Outubro de 1998 18:03
Assunto: Favela Bairro

Sr. Silvio,

Desculpe-me ter enviado o e-mail, mas temos lutado no Recreio dos Bandeirantes com o Poder Público. No governo Cesar Maia acordamos com uma placa dizendo que seriam feitas em frente às nossas casas 81 casas para moradores de uma favela próxima que seriam retirados do local para reconstrução do canal invadido . Passamos a morar numa rua de favela, com oficina de lanternagem, etc. Mas o que mais choca é que pagamos IPTU acima de 1.000 reais e a arrogância do Sergio Magalhães e do Cesar Maia e do Conde é tamanha que nos mandam ir para a Justiça. Se julgam onipotentes. Meus vizinhos venderam por qualquer preço seus imóveis, mas eu resolvi lutar. O que mais revolta é justamente que dentro das favelas (como essa próxima ã nossas casas )moram não só carentes mas pessoas com altíssimo poder aquisitivo exploram o local adquirindo áreas já desvalorizadas próximas por mais de R$ 200.000,00 e vendem e alugam quartos, sob as vistas dos governantes. Trabalhei como um animal para poder ter minha casa, enfrentei toda a carência do local abandonado durante anos pela Prefeitura, e me vejo expulsa de minha própria casa, já que é impossível morar aqui. Como eu muitas pessoas estão passado por situações semelhantes. Adoecemos, pois é estressante tudo isso, e não conseguimos apoio da imprensa, que esconde, não publica o que enviamos, e nos vemos sem conseguir lutar, pois a população continua ignorando o que se passa. Caso lhe interesse conhecer mais sobre o problema posso lhe fornecer até documentos comprovando a omissão tanto da Prefeitura como a coninvência do Ministério Público Estadual e Federal que nada fazem nas inúmeras denúncias de vários moradores em vários bairros da cidade.

Procurei no Zaz em busca: meio ambiente e arquitetura e www.arquitetura.com.br. Devo ter encontrado o seu e-mail anunciado lá.Peço-lhe desculpas, mas estou procurando grupos de arquitetura e arquitetos e outras pessoas para discutir e modificar esse estado de coisas em que o Poder Público tudo pode e o cidadão vá se queixar ao bispo, já que até a justiça no Brasil é também muitas vezes conivente.

Agradeço a sua atenção,

Maria Lucia