De: "Rodrigo Novaes"
Para: Maria Lucia Massot
Enviado:Quinta-feira, Agosto 05, 2003 12:37 AM
Assunto: Favelas

A história mostra que a remoção das favelas é a estratégia mais eficiente na
valorização de um bairro.

A Lagoa e a própria Barra da Tijuca hoje são bairros valorizados porque, um
dia, alguém removeu as favelas de lá. Sei que parece crueldade, direitismo
ou seja o que for. Mas por que só a classe média nesse país tem que
respeitar a lei?

Tenho um apartamento em Jacarepaguá, no Pechincha, cuja rua em frente (Rua
José Silva) também foi invadida por uma favela. Em frente à casa da minha
mãe, no Anil, construíram ilegalmente uma serralheria. Tentou-se de tudo e o
sujeito só saiu de lá quando bem entendeu.

Sempre se usa o argumento do tempo de transporte a favor da manutenção das
favelas. Como Engenheiro de Transporte, digo que é muito fácil resolver
isto; mas, infelizmente, o sistema de transporte da cidade está na mão de
uns 5 empresários, cuja lógica também é a da não-mudança. Inclusive um dos
empresários daqui (o maior) tem um irmão que atua no ramo imobiliário, e
também ficou multimilionário.

Hoje (05/08/03) saiu no jornal O GLOBO que a prefeitura vai utilizar toras
de eucalipto para tentar controlar o crescimento do Rio das Pedras. Parece
até piada. Se cercas de aço não conseguiram fazer isso em outros lugares...
Também quero morar a 500m da praia, ou a 10 minutos da Barra, ou com vista
para a Praia de São Conrado, sem pagar luz, água, IPTU ou mesmo comprar o
terreno...

Honestamente estou achando que o jeito é mudar para Florianópolis, Curitiba,
ou de preferência Toronto ou Londres.

Cordialmente,
Rodrigo Novaes
Engenheiro de Produção
Mestrando em Eng. de Transportes - COPPE/UFRJ